Quem Somos

O Instituto de Recuperação Pedagógica surgiu do interesse de alguns profissionais que pensaram em criar, aqui em Curitiba, uma entidade particular, com a finalidade de propiciar reforço escolar e, ao mesmo tempo, prestar atendimento a crianças com distúrbios de aprendizagem, problemas de Psicomotricidade e de linguagem. Para tornar realidade esse sonho, em 23 de julho de 1971, reuniu-se o médico neurologista Dr. Heirenfried Wittig, a fisioterapeuta Oneide Wittig (sua esposa), a também fisioterapeuta Hermínia Fernandes e a pedagoga Maria de Lourdes Canziani, organizaram-se e fundaram o Instituto.

O IRP foi oficialmente registrado em 05 de setembro de 1971 e começou a funcionar numa casa alugado, na Rua Conselheiro Araújo, nº 428, em dois turnos de trabalho, oferecendo reforço escolar e atendimentos de Psicomotricidade e linguagem.

Em 1973,  Nilda Gay da Silva (In Memória) chegou ao Instituto de Recuperação Pedagógica, trazendo consigo toda a experiência profissional que tinha acumulado em Porto Alegre, como diretora de escolas de Educação Especial. Começou a trabalhar em 1946 como professora após se casar e mudar-se para Porto Alegre, onde se especializou para trabalhar com pessoas que tinham algum tipo de deficiência.

Foi ela que montou a primeira turma de Educação Especial e consequentemente a primeira escola. Antes de se aposentar lançou a pedra fundamental do Centro Ocupacional e em 1971 se aposenta no Rio Grande do Sul e se muda para o Paraná.

A partir daí, o Instituto ganhou uma nova dinâmica no seu funcionamento e, em 07 de agosto de 1975, pelo Decreto nº 833 do Governo do Estado do Paraná, passa a ser reconhecida como Escola Especial.
Em 1979, retiraram-se da sociedade os fundadores e entraram novos membros. Passaram então a fazer parte da Diretoria, além de D. Nilda, a fonoaudióloga Delci D. Cordeiro e a pedagoga Míriam Passos de Sá.

Em janeiro de 1987, o Instituto deixou de ser uma empresa particular e se tornou uma Associação Civil sem fins lucrativos, como o nome de Instituto de Recuperação Pedagógico- Ensino Especial, tendo como presidente D. Nilda Gay da Silva, que permaneceu no cargo até outubro de 2010.

Atualmente, o presidente da Associação é o Sr. Francisco Gay da Silva, filho de D. Nilda e a diretora da escola é a Professora Adriane Cristine Pereira.

Durante esses 46 anos de história, o IRP (mantenedora da Escola Egrégora) atendeu a mais de 900 alunos, com a ajuda e trabalho de cerca de 100 profissionais, entre professores, pedagogos, fonoaudiólogos, psicólogos, musico terapeutas, secretários, inspetores e auxiliares de serviços gerais.

Em 2012 outro marco, surge então a Escola Egrégora Ensino Fundamental, modalidade especial que é mantida pelo Instituto, toda essa mudança foi necessária para que se pudesse manter em funcionamento as escola de todo o Paraná que atendem as crianças, jovens, adultos e idosos com deficiência.

Hoje, atendemos aproximadamente 60 alunos, a partir de 6 anos até idosos. Atualmente, 15 de nossos alunos trabalham em empresas da cidade, com carteira assinada e todos os direitos trabalhistas. Empresas como: Irmãos Abage, Unimed, Riachuelo, Condor, Vega Engenharia, Gazeta do Povo.

Pensar e agir é uma marca do ser humano. Afinal, foi pensando e agindo que o Instituto de Recuperação Pedagógica nasceu, cresceu e construiu uma trajetória de sucesso ao longo desses 46 anos, ajudando pessoas especiais a se tornarem cidadãos que estudam, trabalham e constroem o seu futuro, conforme suas possibilidades.

O IRP muito deve a D. Nilda(in memória), pessoa chave para o bom funcionamento da entidade quase que desde a fundação. Com sua experiência e gerenciamento eficiente, por tantos anos, articulou o trabalho de todos os envolvidos nessa pequena comunidade escolar, buscando atingir sempre os melhores resultados e, mesmo passando por várias dificuldades, sempre atuou com dedicação total na manutenção da estrutura física, pedagógica e financeira da associação.

Todos nós que damos continuidade à história do Instituto de Recuperação Pedagógica, o fazemos lembrando permanentemente os ensinamentos e exemplos de D. Nilda(In memória) e, ao mesmo tempo, planejando o funcionamento do amanhã da escola, para que ela seja melhor do que a que temos hoje. Certamente, esse é o lema que vai conduzir o Instituto nos próximos 46 anos.